Secretaria de Saúde de Campo Verde implanta telemedicina para atendimento a pacientes de endocrinologia e psiquiatria




Secretaria de Saúde de Campo Verde implanta telemedicina para atendimento a pacientes de endocrinologia e psiquiatria

Paciente sendo atendida por meio da telemedicina

Durante o período de pandemia do novo coronavírus, a Secretaria Municipal de Saúde tem procurado formas de continuar ofertando atendimento à população com o mínimo de risco de contágio possível.

E o uso da telemedicina tem se apresentado como uma excelente alternativa. Desde a última semana, pacientes de endocrinologia estão sendo atendidos por meio de videoconferência pela médica Bruna Luiza Prati.

Para que isso pudesse ser possível, um espaço equipado com um notebook foi montado numa das salas da Academia da Saúde, no bairro Recanto do Bosque.

Inicialmente estão sendo ofertados quatro atendimentos – que são acompanhados por uma enfermeira – por dia, sempre no período da tarde, mas a proposta é ampliar esse número.

“Já estamos nos organizando para fazer mais quatro atendimentos no período da manhã também”, informou a gerente de Gestão Estratégica da Secretaria Municipal de Saúde, Ivania Meinke.

Ela explicou que o uso da telemedicina foi adotado devido à grande demanda pela especialidade e que, em razão da COVID-19, estava com os atendimentos suspensos. “[Com] isso a gente deu andamento nos agendamentos que estavam parados”, explicou.

Conforme frisou o secretário municipal de Saúde, Altair Timóteo de Araújo, o uso da telemedicina, que é um trabalho inovador, não compromete a qualidade do atendimento ofertado aos pacientes e é tão eficiente quanto o presencial.

“Já é comprovado que é possível sim trabalhar com esse recurso, ainda mais nesse momento da COVID-19”, disse Araújo. “A gente tem uma demanda muito grande de pacientes que estão aguardando as consultas há algum tempo e nós montamos esse projeto justamente para dar esse tipo de atendimento, ter o serviço. E acredito que vai ter bom resultado”, completou.

Ele também frisou que a telemedicina ajuda a proteger tanto a médica quanto os pacientes, diminuindo o risco de contágio pelo novo coronavírus. “Isso é muito importante, justamente numa situação aonde a paciente pode talvez, ter a doença. Então isso reduz o contágio do profissional que não pode ter contato corpo a corpo com seu paciente”, disse.

Para a doutora Bruna Luiza Prati, a telemedicina no momento atual vem de encontro tanto da necessidade dos profissionais da saúde, que precisam oferecer o atendimento, quanto da dos pacientes, que tem necessidade ser atendidos. “Se não fosse pela telemedicina a gente não conseguiria atender esse público”, destacou.

Estrogilda Gonçalves da Silva é uma das pacientes atendidas por meio da telemedicina e afirmou estar satisfeita com a iniciativa da Secretaria de Saúde. “É muito bom, né? Porque a gente precisa [do atendimento] e, igual ao meu, estava atrasado, então eu achei muito bom. E a gente se sente à vontade. É bem legal”, disse ela.

A partir da próxima segunda-feira (11), conforme informou o secretário municipal de Saúde, a telemedicina passará a ser utilizada para atendimentos psiquiátricos, que serão feitos pela médica Batriz Marzenot.

Categorias: Saúde

Sobre o autor