Projeto que usa auriculoterapia desenvolvido em Campo Verde obteve o 2º lugar em mostra que reuniu 191 trabalhos




Projeto que usa auriculoterapia desenvolvido em Campo Verde obteve o 2º lugar em mostra que reuniu 191 trabalhos

Técnica trabalha o equilíbrio do organismo

Um projeto desenvolvido pelo Núcleo de Atenção à Saúde da Família (NASF) da Secretaria Municipal de Saúde de Campo Verde, e que usa a terapia auricular no tratamento dos sintomas do Transtorno de Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH) e também do Déficit de Aprendizagem, ficou em segundo lugar entre os 191 trabalhos apresentados por 41 municípios na “Mostra de Trabalhos Exitosos” realizada durante o XXII Encontro Anual de Secretários Municipais de Saúde de Mato Grosso, que aconteceu entre os dias 12 e 14 desse mês em Cuiabá.

Conforme explicou a fonoaudióloga Juliana Gomes Jorge, a duração do Projeto é de três meses e são atendidas atualmente 32 crianças e adolescentes com idade entre 8 e 16 anos. “Ao término dos três meses a gente reavalia se a criança recebe alta observada, se ela continua no tratamento ou se ela necessita ser encaminhada para um serviço especializado”, explicou.

O projeto, conforme lembrou a fonoaudióloga, foi implantado em julho de 2017 em parceria com psicóloga Laura Macedo Di Loreto. Os resultados alcançados até agora foram satisfatórios, sendo que 64% dos participantes receberam alta após os três meses de tratamento, 28% continuam o tratamento auricular e apenas 8% foram encaminhados para tratamento especializado.

A terapia auricular ou auriculoterapia é derivada da acupuntura – terapia milenar chinesa – e utiliza sementes de mostarda no lugar das agulhas. As sementes são aplicadas em pontos específicos da orelha que estimulam o equilíbr

Projeto atende 18 crianças e adolescentes com idade entre 8 e 16 anos

io, controlam a ansiedade, a agressividade, a agitação e proporcionam a estabilidade emocional.

“A auriculoterapia é uma prática integrativa complementar ao tratamento convencional fonoaudiológico e o objetivo com essa prática é diminuir os sintomas do TDAH, do déficit de aprendizagem, diminuir o uso de medicamento e o tempo que a criança fica em terapia”, explicou Juliana.

De acordo com a fonoaudióloga, em julho o Projeto será apresentado em Brasília, durante a Mostra Nacional de Trabalhos Exitosos. Além do Projeto da auriculoterapia, Campo Verde apresentou mais 6 projetos durante o Encontro de Secretários Municipais de Saúde.

Categorias: Saúde

Sobre o autor