Houve avanços, mas é preciso mais”, diz adjunto da Casa Civil no encerramento da Semana da Pessoa com Deficiência




Houve avanços, mas é preciso mais”, diz adjunto da Casa Civil no encerramento da Semana da Pessoa com Deficiência

Marcione Mendes de Pinho, secretário-ajunto de Promoção de Direitos da Pessoa com Deficiência da Casa Civil do Governo de Mato Grosso

A Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de Campo Verde (APAE) realizou encerrou na última sexta-feira (25) a “Semana da Pessoa Com Deficiência”. O evento aconteceu no Centro de Convivência do Idoso Beno Jhonner e contou com a presença de dezenas de pessoas e lideranças políticas.

Durante toda a última semana, diversas atividades foram realizadas pela APAE de Campo Verde voltadas as pessoas com deficiência, como “pit stop” com distribuição de panfletos e palestras, entre outras.

Secretário Adjunto de Promoção de Direitos da Pessoa com Deficiência da Casa Civil do Governo de Mato Grosso, Marcione Mendes de Pinho ressaltou que nos últimos anos houve avanços significativos no que diz respeito à inclusão dos deficientes.

Segundo ele, a luta do movimento da pessoa com deficiência fez surgir vagas de empregos, vagas nas escolas e a Lei Brasileira de Inclusão. Outro aspecto apontado como uma grande conquista por ele foi a resolução da ONU de 2008 voltada à pessoa com deficiência. “Então não podemos ser hipócritas e dizer que não houve avanço, houve sim, muito avanço”, afirmou. “E nós queremos avançar ainda mais porque só avançamos que nós conseguiremos alcançar de fato a verdadeira inclusão e o respeito a pessoa, que é o que nós mais almejamos”, completou.

Porém, Marcione ponta que ainda é preciso vencer muitas barreiras. A principal delas é do preconceito. “A barreira atitudinal é o verdadeiro problema da inclusão da pessoa com deficiência na escola, no trabalho. Na barreira atitudinal, a pessoa olha primeiro a nossa deficiência, nosso jeito de locomover, nosso jeito de comunicar ao invés de olhar a pessoa que está por trás disso, que é um ser humano dotado de diretos e deveres”, disse.

Como secretário-adjunto de Promoção de Direitos da Pessoa com Deficiência da Casa Civil do Governo de Mato Grosso Marcione disse que o Governo de Mato Grosso está trabalhando para garantir uma política pública efetivamente para a pessoa com deficiência, onde 19 órgãos estadual, mais representações da sociedade civil organizada trabalharão em conjunto para que os direitos dessas pessoas sejam garantidos e efetivados.

Presidente do Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Juarez de Almeida Albuês também destacou que houve avanços no que diz respeito à inclusão do deficiente na sociedade. “Tanto é que nesse evento tem a presença do secretário adjunto de Estado de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência, do presidente do Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa com Deficiência e do coordenador de Educação Especial do Estado. Então eu vejo positivamente e o Conselho Estadual está pronto para apoiar todas as ações que o Município tiver. Onde tiver ações da pessoa com deficiência nós estamos juntos.

Vice-presidente da APAE de Campo Verde, Renato Tachinardi foi outro que destacou que houve avanços e uma conscientização por parte da sociedade com relação às pessoas deficientes. Segundo ele, o trabalho desenvolvido por instituições, por clubes de serviços e por órgãos governamentais tem contribuído para a inserção do deficiente, seja no mercado de trabalho, na educação e em outros setores.

“Eu acredito que sim. A gente nota, a gente consegue ver mais pessoas portadoras de deficiência ocupando cargo nas empresas, trabalhando, levando uma vida normal e isso é gratificantes”, disse ele. “Existe toda uma atenção da comunidade. Aqui em Campo Verde, principalmente, sendo solidária e cuidando dessas crianças (adolescentes, jovens e adultos). É um trabalho que sempre vai ser contínuo e crescente porque a gente sabe que a população de Campo Verde vai crescer e mais crianças, mais pessoas vão precisar desse tipo de assistência”, completou.

De acordo com Tachinardi, é importante cada vez mais a participação do Município, das entidades e da população no trabalho de sedimentar a inclusão social do deficiente. Ele ressaltou que a APAE de Campo Verde é um retrato de como a cidade trata seus deficientes. “Depois da gestão da dona Maria (Garbugio) a APAE deu um salto de qualidade. Conseguiu realizar todas aquelas construções e consegue atender as crianças de uma maneira muito melhor”, disse.

O chefe de gabinete da Prefeitura de Campo Verde, Aparecido Rudnick, que representou o prefeito Fábio Schroeter no evento, enfatizou que a Administração Municipal tem sido parceira nas ações que buscam melhorar a vida das pessoas com deficiências. Rudnick destacou também a força dos deficientes na busca por seus direitos e pela inclusão social. (Valmir Faria – Supervisor de Comunicação/ASCOMCV)

Categorias: Gabinete

Sobre o autor