Criação de peixes é tema de reunião no Capim Branco




Criação de peixes é tema de reunião no Capim Branco
No Capim Branco, 20 pequenos produtores foram beneficiados pelo programa de incentivo à piscicultura

No Capim Branco, 20 pequenos produtores foram beneficiados pelo programa de incentivo à piscicultura

Mato Grosso já é o maior produtor de peixes nativos do Brasil devido às condições ideais para criação das espécies. De olho nesse potencial produtivo e como forma de proporcionar uma atividade a mais para a pequena propriedade, a Prefeitura de Campo Verde implantou no início do segundo semestre desse ano o Programa de Incentivo à Cadeia da Aqüicultura Familiar, que vai beneficiar os pequenos proprietários do Município.

De acordo com o Programa, o Município disponibiliza uma retroescavadeira hidráulica para a construção de um tanque por propriedade. Como contrapartida, o pequeno produtor paga o equivalente a 15 litros de óleo diesel por hora. O pagamento é feito em três parcelas anuais.

No último sábado (14), agricultores familiares da comunidade de Capim Branco beneficiados com a construção de tanques pela Administração Municipal, participaram de uma reunião onde foram abordados assuntos como a comercialização do pescado, técnicas de criação, legislação ambiental e também sobre a forma de funcionamento do Programa. Na comunidade já foram construídos 20 tanques pelo Município.

Coordenador de Meio Ambiente da Secretaria Municipal de Agricultura e Meio Ambiente, Edson Silva Castro falou sobre a regularização ambiental dos tanques. Segundo ele, a Prefeitura tem autonomia para liberar a LA para áreas com até 5 hectares de lâmina d´água. Conforme lembrou Castro, o licenciamento ambiental é um das exigências para que a produção possa ser comercializada.

Outro fator primordial para que a atividade tenha sucesso é a qualidade dos peixes. “O manejo da água e o controle da alimentação também influenciam na qualidade”, frisou o técnico agrícola da Empaer de Campo Verde Sérgio Mazetto. “E o produtor tem que saber criar para ter um produto de qualidade”, completou.

O uso de técnicas adequadas de manejo é fundamental para que a atividade possa se tornar viável e que o produtor consiga comercializar o pescado produzido. E dentre os cuidados com o cardume, a alimentação é um dos principais. O tema foi abordado pelo estudante de agronomia Edson Rezende Viana. Segundo ele, o fornecimento de ração adequada e balanceada é fundamental para o desenvolvimento das espécies desde a fase de alevinagem até a despesca.

“Nós temos um potencial muito grande para a criação de peixes”, observou o secretário de Desenvolvimento Agrícola e Meio Ambiente de Campo Verde, Pedro Cambará, lembrando que a capacitação dos criadores é importante para o sucesso da atividade. “Mas o produtor que não se especializar, vai ficar de fora do mercado”, completou.

Cambará lembrou que o Município pretende dar assistência técnica aos produtores em todos os estágios da criação e, segundo ele, a ideia inicial é que a comercialização dos pescados seja feita através de uma cooperativa de Primavera do Leste. “Depois que estruturarmos a nossa cadeia produtiva vamos pensar em um frigorífico”, observou.

 

Valmir Faria

Supervisor de Comunicação

Sobre o autor