Agricultura familiar desenvolvida em Campo Verde é considerada modelo




A agricultura familiar em Campo Verde responde por 70% dos hortifrutigranjeiros consumidos em Cuiabá, Rondonópolis e Várzea Grande

Campo Verde realiza nesta quinta-feira (12) o 2º Seminário da Agricultura Familiar no Centro de Atendimento ao Idoso Beno Jhonner, com início às 7h30. O evento tem como pano de fundo a atividade agrícola desenvolvida nas pequenas propriedades localizadas nos assentamentos da reforma agrária e nas comunidades rurais.

Em Campo Verde, a agricultura familiar é forte. São mais de 1,1 mil famílias que vivem e produzem em pequenas propriedades com área que varia de 12 a 25 hectares. Órgãos como a Secretaria Estadual de Agricultura Familiar e o Incra apontam a agricultura familiar desenvolvida no município como modelo para outras cidades de Mato Grosso e também do Brasil.

O forte da produção nas pequenas propriedades são os hortigfrutigranjeiros, como alface, rúcula, couve, couve-flor, tomates, berinjelas repolho e outras frutas e legumes, como tomates, abobrinha, cenoura e beterraba. Em algumas propriedades é desenvolvida também a criação de peixes, suínos e frangos; além da produção de leite de derivados.

Um dos destaques na agricultura familiar é o Assentamento Santo Antônio da Fartura, onde vivem mais de 650 famílias. O Assentamento abastece cerca de 70% dos mercados de Cuiabá, Várzea Grande e Rondonópolis.

Graças ao potencial produtivo das pequenas propriedades, muitas delas divididas entre várias famílias que fazem o cultivo da terra, a comunidade conta um uma estrutura semelhante a de uma pequena cidade.

Conta com escolas, posto de saúde, ambulância para o transporte de pacientes, pavimentação asfáltica e iluminação pública na área urbana; mercados, restaurantes, lanchonetes, panificadora, posto de combustível, bares, oficina mecânica, farmácia, borracharia e loja de móveis.

Durante o dia, a movimentação de caminhões e caminhonetes transportando a produção demonstra a força do Assentamento Santo Antônio da Fartura, onde a maioria dos moradores possui moto ou carro. A estimativa é que a renda mínima das famílias que vivem na comunidade seja de R$ 3 mil mensais.

Todo esse potencial da agricultura familiar contribui com a economia do município, fomentando o comércio e a prestação de serviços, gerando empregos não só no campo, mas também na cidade.

Mas para que a agricultura familiar possa ser forte e sustentável, o Poder Público precisa fazer a sua parte. Em Campo Verde, em todos os assentamentos e comunidades rurais a Administração Municipal se faz presente com a manutenção de estradas e pontes, transporte escolar, atendimento médico-odontológico e orientação técnica.