Câmeras monitoram via de acesso ao antigo lixão


Equipamentos foram instalados para evitar o descarte de resíduos às margens da estrada

A longo dos últimos dois anos a Prefeitura de Campo Verde reforçou a coleta seletiva no município, concluiu as obras do aterro sanitário, criou o ecoponto e a Área de Transbordo e Triagem de resíduos da construção civil para evitar o descarte de resíduos sólidos de forma irregular.

No entanto essas medidas parecem não ter sensibilizado parte da população que insiste em descartar todo o tipo de resíduos sólidos em locais proibidos ou inadequados, como a estrada de acesso ao antigo lixão da cidade, onde grande quantidade de materiais como carcaças de eletrodomésticos, roupas, estofados velhos, pneus, malas e até resto de óleo lubrificante está sendo descartada.

Somente no último sábado (27) uma equipe da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Agrícola e Meio Ambiente, coordenada pelo agrônomo Airton Cervieri, recolheu ao longo da estrada, que tem cerca de quatro quilômetros, quatro caminhões de resíduos.

Apesar do trabalho feito pela SEDAM, na manhã de terça-feira (29) mais uma grande quantidade de lixo foi encontrada à beira da estrada. Até mesmo em uma área particular ao lado do antigo lixão, que está sendo recuperado, foi utilizada para o descarte de resíduos.

Segundo Cervieri, é preciso mais conscientização por parte da população sobre a destinação do lixo inorgânico. De acordo com ele, todo o material deixado na beira da estrada poderia ter sido levado para a Cooperativa de Trabalho e Manejo de Recicláveis (Cootramar), responsável pela coleta seletiva no município e que funciona no Distrito Industrial; ou ter sido deixado no Ecoponto, localizado na Rua Acre, no bairro São Lourenço; ou ainda levado até o aterro sanitário.

De acordo com Cervieri, para tentar coibir essa prática a Prefeitura instalou câmeras de vídeos que monitoram e identificam quem está fazendo o descarte irregular. Quem for flagrado deixando resíduos à beira da estrada será multado.