Município firma acordo com agência de cooperação alemã na área de meio ambiente




A Administração Municipal de Campo Verde e a Deutsche Gesellschaff für Internationale Zesammenarbeit (GIZ) GmbH, agência de cooperação ligada ao governo alemão, assinaram hoje (3) no Paço Municipal Prefeito Onescimo Prati, um Termo de Cooperação com o objetivo de estabelecer, consolidar e intensificar a cooperação para o fortalecimento do Projeto ProteGEEr, celebrado entre o Brasil e a Alemanha em 2016.

O Projeto ProteGEEr é desenvolvido por meio de uma colaboração entre os ministérios brasileiros do Desenvolvimento Regional e do Meio Ambiente, e o Ministério Federal do Meio Ambiente, Conservação da Natureza e Segurança Nuclear da Alemanha. O documento assinado tem como objetivo o fortalecimento do diálogo político entre os participantes.

A GIZ é uma empresa de utilidade pública do Governo da Alemanha que atua no âmbito de energias renováveis e eficiência energética, proteção do meio ambiente e manejo sustentável dos recursos naturais; do desenvolvimento urbano sustentável, mudanças climáticas, cooperação triangular, apoio prático a parcerias com o setor empresarial e contribuição, por meio de recursos humanos e financeiros, em atividades e projetos de interesse comum entre os governos brasileiro e alemão.

Entre os itens constantes do Acordo de Cooperação estão, entre outros, a atuação da GIZ, em parceria com o Município, na execução de atividades de capacitação e apoio técnico para a implementação de ações que reduzam a emissão de gases do efeito estufa (GEE), além do desenvolvimento de ferramenta de apoio à tomada de decisões que será utilizada viabilizando a quantificação das emissões de GEE no setor de resíduos sólidos urbanos, além do apoio técnico e de consultoria.

Conforme destacou o prefeito Fábio Schroeter, a parceria com a GIZ representa um grande ganho para o Município, que já se destaca na destinação correta dos resíduos sólidos urbanos com um aterro sanitário em operação e a coleta seletiva do lixo doméstico.

“Com esse acordo de cooperação, nós entendemos que teremos melhores condições de fazer uma boa gestão desses resíduos para causar um impacto menor para a população, aproveitando essa expertise com consultorias, com apoio para buscar recursos para que a gente possa investir mais nessa área”, disse o prefeito. “É uma alegria muito grande poder contar com essa cooperação”, completou.

Fábio lembrou que em todo o Brasil, apenas seis municípios contarão com essa cooperação e que Campo Verde, com a melhoria na gestão dos resíduos sólidos urbanos, vai servir como projeto piloto, impactando dessa forma nos demais municípios. “Com certeza a gente vai ter um ganho muito grande”, frisou.

De acordo com o prefeito, sua gestão está preocupada com o meio ambiente e tem desenvolvido ações que objetivam sua preservação. “E queremos mostrar isso para todos! dizer que nós temos responsabilidade sim, e queremos fazer uma gestão [de resíduos] cada vez melhor. Que a população não tenha preocupação nenhuma com a geração de resíduos sólidos aqui no nosso município”, disse.

Hélinah Cardoso, coordenadora de Projeto de Cooperação Brasil-Alemanha para a Proteção do Clima na Gestão de Resíduos Sólidos Urbanos (Projeto ProteGEEr) ressaltou que o objetivo do acordo feito com o Município de Campo Verde “é proteger a gestão de resíduos no Brasil, considerando também a mutação do clima”.

Destaque – Segundo ela, Campo Verde foi escolhido por ser um dos poucos municípios brasileiros a contar com uma política de destinação de resíduos sólidos urbanos e ter um aterro sanitário em funcionamento, o que, de acordo com Hélinah, é raro, principalmente em cidades com menos de 50 mil habitantes.

“O ponto positivo de Campo Verde é justamente ser um município pequeno e ter evoluído tanto, ter conseguido encerrar um lixão, por exemplo; estar operando um aterro sanitário com a própria Prefeitura liderando essa operação. Isso é um caso muito diferenciado no Brasil”, frisou.

De acordo com Hélinah, com o aterro sanitário a ideia é promover novas rotas tecnológicas que tenham também o potencial de contribuir positivamente para o clima. “A agenda global hoje está trazendo muito o tema mudanças climáticas – não só o meio ambiente. E esse movimento global de proteção do clima faz com que um projeto como esse possa ser financiado – nesse caso o ProteGEEr é financiado pelo Ministério de Meio Ambiente da Alemanha com recursos da iniciativa internacional de proteção do clima”, explicou.

Além de Hélinah Cardoso, Jan Janssen, coordenador da Linha de Atuação com os Municípios, do ProteGEEr, também esteve presente na assinatura do Termo de Cooperação, da qual participou também o engenheiro sanitarista da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Agrícola e Meio Ambiente, Rubens Anunciação Júnior

Categorias: Noticias