Ministério da Saúde amplia faixa etária para vacinação contra o sarampo




Devido aos casos de sarampo registrados em vários estados brasileiros, o Ministério da Saúde ampliou o público alvo que deve receber a vacina contra a doença, com a idade mínima obrigatória para a imunização passando de 12 para 6 meses. Adultos com até 59 anos e que ainda não tomaram a vacina também devem ser imunizados.

A medida foi adotada para aumentar a prevenção contra o risco de contágio pela doença, que vem crescendo nos últimos meses. Entre maio e agosto foram registrados 1.662 casos em todo Brasil.

São Paulo é o estado com maior número de pessoas contaminadas pelo sarampo: 1.662. Os demais casos foram registrados no Rio de Janeiro (6), Pernambuco (4); Bahia, Paraná, Goiás, Maranhão, Rio Grande do Norte, Sergipe e Piauí contabilizaram um caso em cada um dos estados.

“Essa medida é uma ação preventiva e uma resposta imediata do Ministério da Saúde em decorrência do aumento de casos da doença em alguns estados. Embora Mato Grosso não faça parte do grupo de estados com casos confirmados, a vacinação deve ser realizada aqui também”, explicou a gerente da Atenção Vigilância em Saúde, da Secretaria Municipal de Saúde de Campo Verde, Patrícia Alcântara.

“É importante esclarecer que essa dose é chamada “dose zero” e não substitui as doses do calendário nacional de vacinação da criança. Assim, além dessa dose que está sendo aplicada agora, os pais e responsáveis devem levar os filhos para tomar a vacina tríplice viral (D1) aos 12 meses de idade (1ª dose); e aos 15 meses (2ªdose) para completar as doses necessárias”, destacou Patrícia.

Conforme informou a gerente de Vigilância em Saúde, a vacina tríplice viral, que também imuniza contra a rubéola e a caxumba, está disponível em todas as unidades de saúde de Campo Verde.

De acordo com Patrícia Alcântara, as pessoas que fazem parte do público alvo da vacinação contra o sarampo já podem procurar as Unidades de Saúde do Município para tomarem a vacina. “Além das crianças nessa faixa etária é recomendado também completar o cartão vacinal de adolescentes e adultos, não apenas com a Vacina Tríplice Viral, mas também com as demais vacinas disponíveis na rede”, orientou.

Categorias: Noticias