Recolhimento de pneus contribui com o meio ambiente e com a saúde em Campo Verde




Implantado já há alguns anos, o recolhimento de pneus usados em Campo Verde tem apresentados excelentes resultados, contribuindo com a preservação do meio ambiente e melhorado os indicadores de saúde.

O recolhimento, de acordo com o supervisor de Meio Ambiente da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Agrícola e Meio Ambiente de Campo Verde, Edson Silva Castro, é feito de acordo com a demanda, podendo chegar a três vezes por semana. A média mensal de pneus recolhidos, segundo ele, é de 3 mil unidades.

Ele ressaltou que, devido à localização, milhares de carros passam todo mês por Campo Verde e muitos acabam deixando os pneus usados na cidade. Outro setor onde o descarte de pneus também é grande é o agropecuário.

“E muitas das vezes o que vinha acontecendo era que esses pneus eram descartados nas saídas da cidade, em lixões, em bolsões de lixo. E a Prefeitura, vendo a necessidade de fazer um tratamento adequado desses pneus, observou essa demanda que era muito grande e nós estamos fazendo o nosso papel, que é receber e dar uma destinação correta

Castro enfatizou que’ a Prefeitura oferece também um local adequado para que os pneus descartados pelas borracharias ou por fazendas possam ser armazenados até serem recolhidos pelas recicladoras.

Ele também citou que dar uma destinação correta a esse tipo de resíduo, contribui com a eliminação do mosquito transmissor da dengue e evita a proliferação de ratos e outros animais peçonhentos.

Dono de uma borracharia em Campo Verde, Gilson Batistela aprova a iniciativa da Prefeitura. “Para nós é uma beleza, evita o acúmulo de pneus velhos – que tem muitos nas borracharias”, disse ele.

Segundo ele, se não houvesse o recolhimento as borracharias teriam dificuldades para fazer o descarte. “A gente não sabe aonde levar. Ainda tem alguém que arruma alguma coisa [para usar os pneus], faz uma fossa, um pé de caixa d´água, mas assim mesmo ninguém usa tanto. E esse recolhimento ajuda a gente muito”, afirmou,