Assistência Social de Campo Verde fez 28 abordagens sociais em fevereiro




A presença de pessoas em situação de rua na região central de Campo Verde tem provocado indignação e reclamação da população. Para tentar amenizar o problema, a Secretaria Municipal de Assistência Social, por meio do Centro de Referência em Assistência Social (CREAS) tem realizado um trabalho visando reduzir o número de moradores de ruas na cidade.


As abordagens sociais são realizadas com frequência pelas equipes do CREAS

De acordo com os dados da Secretaria Municipal de Assistência Social, durante o mês de fevereiro foram realizadas 28 abordagens sociais. No mesmo período foram concedidas 55 passagens para diversas cidades.

Durante as abordagens, conforme explicou o coordenador de Vigilância Social do CREAS, Ricardo Souza, os moradores de ruas são entrevistados e orientados a aceitarem ajuda como internação em centros de recuperação ou a voltarem para suas cidades de origem.

Porém, Ricardo destacou que a saída das ruas não pode ser imposta. A pessoa pode ou não optar pela ajuda ou continuar na situação em que vive. “Considerando que os serviços oferecidos têm o intuito de resgatar a cidadania e a dignidade humana, o trabalho é realizado com respeito a essas pessoas”, explicou.

Nos últimos dias, moradores de Campo Verde têm usado as redes sociais para denunciar abusos e constrangimentos praticados pelos moradores de rua. Nesse caso, Ricardo Souza explicou que o CREAS ou a Secretaria de Assistência Social não são os órgãos responsáveis por agir de forma a evitar essas situações.

“O fato de a pessoa estar na rua, por si só, não é motivo para ela agir de forma abusiva, com importunação ou agressão verbal”, ressaltou. “Nesses casos deve ser acionada a Polícia Militar”, orientou.

Souza também lembrou que desde maio de 2018 é desenvolvida a campanha “Não dê esmola, promova a cidadania”, em parceria com os Poderes Judiciário e Legislativo, Ministério Público que tem por objetivo reduzir o número de pessoas em situação de rua em Campo Verde.

Ele também citou que em 2018, o Centro de Referência Especializada em Assistência Social realizou 277 abordagens sociais e concedeu 377 passagens para pessoas que estavam em situação de rua no município. Segundo ele, muitos alegaram estar em Campo Verde a procura de trabalho.

Categorias: Noticias