TAC determina forma de comercialização de carnes em feiras livres




Cleiciana Ferreira de Araújo, gerente de Vigilância Sanitária

A partir de julho desse ano os feirantes de Campo Verde que trabalham com venda de carnes de aves e suínos deverão se adequar à uma norma da Vigilância Sanitária determinada em um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) assinado entre o Ministério Público, a Secretaria Municipal de Saúde e a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Agrícola e Meio Ambiente.

De acordo com o TAC, as carnes deverão ser armazenadas em recipientes que garanta sua qualidade e sanidade. “O feirante que vende carne suína terá que ter balcão frigorificado. Para a carne de frango terá que ter caixa térmica. Se a carne vir congelada ou refrigerada, ela deverá ser mantida assim até ser comercializada”, explicou a gerente de Vigilância Sanitária Cleiciana Ferreira de Araújo (foto).

A norma, frisou Cleiciana, vale para os feirantes que comercializam seus produtos no pavilhão da Feira Livre Municipal e também para aqueles que vendem nas feiras de ruas. O trabalho de orientação já foi iniciado e eles têm até o dia 15 de julho para se adequarem. “Todos já foram notificados e já têm ciência do prazo”, frisou.

Expirado o prazo determinado para as adequações, o feirante que estiver atuando fora das determinações estipuladas pelo TAC serão multados em R$ 50 por quilo de carne e terão o produto apreendido. “Terminado o prazo para as adequações, no próximo final de semana já serão autuados”, alertou a gerente da Vigilância Sanitária.

Categorias: Saúde