Saúde de Campo Verde reduz fila de espera por atendimento em especialidades




Outra especialidade em que houve redução na fila de espera foi a hidroterapia

O trabalho desenvolvido pela Secretaria Municipal de Saúde de Campo Verde, de forma comprometida e eficiente, buscando cada vez mais melhorar para a população, tem reduzido o número de pacientes que aguardam por atendimento em várias especialidades médicas.

Nos últimos três anos e meio, as ações realizadas pela SMS/CV fizeram com que o número de pacientes que aguardavam por atendimento na área de fonoaudiologia, por exemplo, caísse de 161 em 2014 para apenas 28 em 2017, uma redução de 480%.

Na área de fisioterapia a redução também foi significativa. Em 2016, de acordo com a fisioterapeuta Juliana Vilela, coordenadora da Unidade Descentralizada de Reabilitação, eram 126 pacientes aguardando vaga para atendimento. Em maio de 2017, esse número é muito menor. “Hoje temos 49 na fila de espera”, informou.

Outra área que apresentou redução na espera por atendimento foi a psicologia, embora seja esta, o maior gargalo da Secretaria Municipal de Saúde no campo das especialidades médicas. Hoje, de acordo com a Unidade Descentralizada de Reabilitação (UDR) são 421 pacientes aguardando por atendimento. Em 2016 esse número era de 915.

Ainda que possa parecer menor em relação às outras especialidades, essa redução de acordo com Sandra Badoco, secretária municipal de Saúde, foi significativa.  “Já melhorou bastante e estamos buscando uma forma de agilizar ainda mais esse atendimento”, disse ela.

Também no atendimento de hidroterapia houve diminuição da fila de espera. Em 2014 haviam 106 pacientes esperando atendimento. Atualmente esse número é de apenas 28.

Juliana Vilela explica que existe um número de vagas determinado para cada especialidade. Essas vagas, segundo ela, são abertas de acordo com a evolução do paciente que está sendo atendido. “E isso varia de um para outro”, observou. Por dia, segundo ela, são atendidos na UDR, 22 pacientes de fonoaudiologia, 80 de fisioterapia e 16 de psicologia. “E temos também 100 pacientes nos grupos terapêuticos, o que dá um total de 218 pacientes atendidos”, completou.

Juliana também lembrou que ao longo dos últimos anos, ações como terapias em grupo, mutirão de avaliação e orientações, trabalho preventivo com palestras em escolas, empresas públicas e privadas e partição em ações como o Prefeitura Itinerante, serviram para melhorar o atendimento ofertado à população.

“É preciso lembrar que novos programas foram iniciados como NASF e o “Melhor em Casa”, que, com suas ações, também ajudam a desafogar a demanda na Unidade Descentralizada de Reabilitação”, disse ela, ressaltando que a Secretaria Municipal de Saúde também investe nos servidores. “Sempre prezando por um atendimento de qualidade, realizamos constantemente capacitações com os profissionais da área”, destacou.  (Valmir Faria – Supervisor de Comunicação/ASCOMCV)

Categorias: Saúde