Produtores participam de curso sobre apicultura




Para os produtores, criação de abelhas pode ser alternativa de renda

Para os produtores, criação de abelhas pode ser alternativa de renda

Cerca de 20 pequenos produtores rurais de Campo Verde participaram hoje (12) de um curso sobre a cadeia produtiva da apicultura. Ministrado pelo apicultor e assessor técnico da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Rural e Agricultura Familiar (SEDRAF), José Catarino Mendes, o evento foi realizado no Parque Aquático do Esporte Clube Juventude.

Durante o treinamento, Mendes falou sobre técnicas de manejo, cuidados com o apiário, e mercado. Explanou também sobre o panorama da apicultura em Mato Grosso. Segundo ele, existem no estado 12 mil colmeias que produzem anualmente 316 toneladas de mel. A atividade envolve 21 mil pessoas.

O consultor destacou algumas características da região que são favoráveis para a produção de mel. Segundo ele, além da grande diversidade da flora, com espécies adequadas à alimentação das abelhas, a sanidade das colmeias é superior a de países como a Argentina. “Nós temos as abelhas mais sadias”, afirmou.

Campo Verde, de acordo com a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Agrícola e Meio Ambiente (SEDAM), tem todas as condições necessárias para o sucesso da atividade. Além de áreas de cerrados preservadas e onde há grande oferta de flores silvestres, o município conta também com grandes áreas cultivadas com eucaliptos, uma das espécies preferidas das abelhas.

E para incentivar a apicultura, a SEDAM, a partir do próximo ano, irá distribuir caixas para a criação de abelhas e fomentar a criação de associações o cooperativas de apicultores. “Por determinação do prefeito Fábio Schroeter, nós, enquanto Secretaria, temos que buscar cada vez mais, alternativas para os pequenos produtores. E a produção de mel é uma delas”, disse o secretário Pedro Cambará.

Campo Verde tem atualmente, de acordo com a SEDAM, cerca de 20 produtores de mel. “O que nós queremos é que esses produtores possam aumentar sua produção e que mais pessoas entrem na atividade, que é bastante promissora”, disse Cambará. (Valmir Faria – Supervisor de Comunicação)

Categorias: Noticias